sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Advento (ano B)






Alegrai-vos

Sempre que pensamos ou imaginamos uma festa, enchemo-nos de alegria.
Festa é sinônimo de alegria, embora muitas festas mundanas tenham sido substituídas por emoções superficiais e sejam confundidas com ruído que ajuda a abafar angustias e necessidades reais...
Felizmente, a alegria ainda sobrevive nas crianças...
E precisamos de a conservar entre nós, de a recuperar com a festa da vida.
Que gênero de alegria podemos experimentar ao saber-nos tão amados por Deus, que nos enviou o seu Filho e Lhe deu a nossa humanidade para nos recordar de que somos seus filhos muito amados?

Nesta terceira semana do Advento, já mais perto da grande festa, vamos procurar fazer um verdadeiro exercício de alegria, em nós e para os outros.
Nós cristãos, temos razões de sobra para conservar-mos a alegria, nestes tempos caracterizados pela falta de motivos para andar alegres, sobretudo devido à presente conjuntura social e comunitária.
Acima de tudo, vivemos na Esperança iniludível de que o Amor de Deus, vivo e atuante em cada um de nós, multiplique os motivos de alegria.
Precisamos saber estar atentos às sementes de amor e boas obras que desabrocham à nossa volta e vencer o pessimismo envolvente, reconhecendo e difundindo o bem que se faz, que também é muito e muito bom.
Precisamos ser portadores da Boa Nova onde a escuridão e os desânimos consomem as energias dos homens...










quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Louvor ás Mães



Louvado sejas Senhor, pelas mães.
Pela minha mãe. Pela Tua Mãe, Senhor.
Pela mãe de todos nós.

Louvado sejas Senhor, por todas as mães. Brancas ou pretas. Ricas ou pobres. Simples ou cultas. Desconhecidas ou universalmente celebres.

Louvado sejas Senhor, porque todas são iguais ante o mistério da vida. Todas são mártires. Todas são mais ou menos santas. Trabalham contigo em equipa, para conservar a espécie humana.

Louvado sejas meu Senhor, pelas mães sofredoras em companhia de seus filhos, sob o peso dos anos, desfiguradas pelo trabalho, doadoras de muitas vidas.

Louvado sejas meu Senhor, pelas mães amadas, velhinhas queridas, que amaram a sua própria destruição, para ver, de suas cinzas, nascer e desabrochar outras flores.

Louvado sejas meu Senhor, pelas mães que sofrem naquela hora, pois sem aquele sofrimento, não estaríamos agora sorrindo a alegria da vida.

Louvado sejas meu Senhor, Deus de amor, pela Tua Santa Mãe, Virgem das virgens, Maria, que a todos nos irmanou em Ti, sendo nossa e Tua Mãe.

Louvado sejas meu Senhor, por todas as mães do mundo inteiro, especialmente pela mãe de cada um de nós.

Louvado sejas meu Senhor, pelas mães que não são amadas por seus filhos. Pelas mães que morreram no momento de dar à luz.

Louvado sejas meu Senhor, por toda a doação e dedicação que tenho recebido de minha mãe.

Louvado sejas meu Senhor, pela doação generosa, sem interesse, que as mães dão a seus filhos.

Obrigada meu Senhor e meu Deus.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Presentes de Natal

smilie
Personagens:
Narrador
Três Reis Magos
Rapaz árabe
Rapaz negro
Menina japonesa
Menina branca
3 jovens
Coro

(Em cena um presépio)

Narrador: havia naquela região pastores que guardavam os seus rebanhos. Um mensageiro do Senhor apareceu-lhes, e a glória do Senhor envolveu-os de luz, de modo que ficaram com muito medo.

(Acende-se a luz que ilumina o presépio)

Mas o mensageiro disse-lhes: «Não tenham medo; trago-vos uma noticia que trará grande alegria a toda a gente: hoje nasceu na cidade de David o Salvador, que é Cristo Senhor!

Coro: Hoje nasceu o salvador, que é Cristo Senhor!

Narrador: Isto vos servirá de sinal: encontrareis um Menino envolto em panos e deitado numa manjedoura.

Coro: Um menino, numa manjedoura.

Narrador: Imediatamente juntou-se ao mensageiro uma multidão do exercito celeste que louvava a Deus e dizia:

Coro: Gloria a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens que o Senhor muito ama.

Narrador: E os pastores vieram a correr, e encontraram Maria com José, e o Menino deitado numa manjedoura.

Coro: Gloria a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens que o Senhor muito ama!

(Ouve-se música natalícia)

Narrador: Tendo nascido Jesus em Belém de Judá, no tempo do rei Herodes o Grande, eis que...

(Os 3 Reis Magos entram em cena, com gestos lentos e dignos)

... chegam os Magos do Oriente a Jerusalém e perguntaram...

Magos:
(Falam entre si. Pode ser um só a falar ou os 3 ao mesmo tempo)

Onde está o Rei dos Judeus que nasceu há pouco?
Vimos a sua estrela no Oriente, e viemos para o adorar!

Narrador: Ao ouvir isto, o rei Herodes perturbou-se, e com ele toda a cidade. E, tendo reunido todos os sacerdotes e escribas, perguntou-lhes onde devia nascer o Cristo.
Eles responderam-lhe:

Coro: Em Belém de Judá! Em Belém de Judá!

Narrador: Os Magos, ao ouvirem o Rei, partiram. E eis que...

(Entra um jovem com uma estrela afixada numa vara. Vai diante dos Magos, até chegar junto do presépio)

... a estrela que tinham visto no Oriente, ir à sua frente, até que parou junto do lugar onde estava o Menino.

(Os Magos chegam ao presépio, e ficam em adoração, oferecendo os seus dons)

Ao entrarem, viram o Menino com Maria sua Mãe, e prostrando-se o adoraram.
Abrindo os seus tesouros, ofereceram-lhe ouro.

Coro: Ouro!

Narrador: Incenso.

Coro: Incenso!

Narrador: Mirra.

Coro: Mirra!

Narrador: E retiraram-se para as suas terras por outro caminho.

(Os Magos saiem de cena).

Coro: Também nós, gente nova, queremos oferecer a Jesus os nossos presentes.

Rapaz árabe:
(Entre em cena e fica junto do Menino)

Eu te ofereço Senhor, o sol quente do deserto, a sombra fresca das palmeiras, o pôr do sol no horizonte avermelhado, as noites cheias de estrelas. Eu te ofereço o cansaço dos homens que trabalham no deserto e aí ganham o pão de cada dia.

Coro: Tudo isto te oferecemos, Senhor!

Menina japonesa:
Eu te ofereço Senhor, as cores delicadas das flores dos nossos jardins, e as belas montanhas cobertas de verde. Eu te ofereço as coisas que amo e admiro: o barco de meu pai banhado com o seu suor, a força das ondas do mar, a ânsia dos pescadores que partem sem saber se regressam, a música que tanto nos agrada nos momentos de festa.

Coro: Tudo isto te oferecemos, Senhor!

Rapaz negro:
Eu te ofereço Senhor, todos os ruídos e toda a vida da grande floresta, com as árvores que se elevam aos céus. Eu te ofereço aquilo que mais admiro: a paciência do meu pai que trabalha, a alegria do meu povo em festa, a dor do meu povo que quer mais dignidade e liberdade.

Coro: Tudo isto te oferecemos, Senhor!

Menina branca:
Eu te ofereço Senhor, o ruído das fábricas e o ritmo de vida das nossas cidades. Ofereço-te o que mais amo e admiro: o trabalho de cada dia do meu pai e da minha mãe, os progressos da ciência e da técnica, a fé e a esperança que tantas pessoas têm em ti.

Coro: Tudo isto te oferecemos, Senhor!

Narrador: E vós, jovens que escutais, não tendes nada para oferecer a Jesus que nasceu?

Coro: Que quereis oferecer?

1º jovem: Eu te ofereço o meu dia inteiro. Quero que cada dia seja melhor que o anterior, vivendo-o na alegria, porque sei que tu me amas e amas a todos os homens.

Coro: Amas a todos os homens.

2º jovem: Eu te ofereço o meu estudo; tudo aquilo que vou aprendendo para conhecer melhor o mundo, a fim de o transformar em mundo novo.

Coro: Transformar em mundo novo.

3º jovem: Eu te ofereço tudo o que me dá alegria. De modo particular, a alegria de viver e o imenso prazer de conviver com os amigos.

Narrador: Jovens do mundo inteiro: Esta criança é a nossa salvação.

Coro: Veio para salvação de todos os homens.

Narrador: Que todos reconheçam nela a luz do mundo, a salvação de todos os povos.

(Música)

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Advento (ano B)






Preparai o Caminho

O que se passa quando alguém vem a nossa casa fazer-nos uma visita?
É preciso preparar o acolhimento: limpar a casa, pensar numa boa refeição, escolher o vestuário apropriado para o acolhimento, comunicar a visita, convidar parentes, amigos, etc...
O coração entusiasma-se antecipado a alegria do encontro, pondo toda a energia na sua preparação.
Por isso, João Baptista exclama vibrante: Preparai o caminho do Senhor!

Como é Deus que vem, o que não faremos para recebê-lo?
O que podemos oferecer a quem nos deu a Vida e se fez pobre criatura?
A quem, sendo Rei, se revestiu dos mais humildes trajos e foi desnudado na cruz, como o pior dos malfeitores, porque nos amou ate ao fim?
Não são os presentes materiais que interessam a Jesus, mas que multipliquemos, avivemos e utilizemos os maravilhosos dons que o Pai nos concedeu para a nossa realização e salvação.










terça-feira, 29 de novembro de 2011

Vinte e Cinco de Dezembro


Personagens: Anjos, Estrelas, Borboletas, Pastores, Lenhador.

Cenário: Com alguma técnica simples, desenha-se um céu estrelado sobre papel de cenário.
Num canto do cenário, oculto com algum tecido, estará representado o presépio de Belém.

Narrador- A historia que vos vou contar sucedeu num dia vinte e cinco de Dezembro de há... há... bem, um montão de anos.
Mas ninguém a esqueceu. Porque, naquele dia sucedeu algo muito, mas mesmo muito, importante.
Mas o melhor é ver e escutar o que se vai dizer e o que se vai ver neste palco.

Anjos (Crianças vestidas de anjos desfilam pelo palco. Repetem duas ou três vezes e marcando o passo):

Um, dois, um, dois...
Somos anjinhos do Senhor,
Um, dois, um, dois...
Que vamos a Belém,
Um, dois, um, dois...
A adorar o Redentor,
Um, dois, um, dois...

(Colocam-se em redor do palco e ficam aí de pé).

Estrelas (Da mesma forma que os anjos, as estrelas desfilam marcando o passo):

Um, dois, um, dois...
Somos estrelas do céu azul,
Um, dois, um, dois...
Que vamos a Belém,
Um, dois, um, dois...
A brilhar para Jesus,
Um, dois, um, dois...

(Colocam-se da mesma forma que os anjos, sempre rodeando o palco).

Borboletas (Repetem, desfilando, como os anjos e as estrelas):

Um, dois, um, dois...
Somos borboletas, com asas de seda,
Um, dois, um, dois...
E ao menino levamos,
Um, dois, um, dois...
Suspiros de Primavera,
Um, dois, um, dois...

(Colocam-se do mesmo modo que os anjos e as estrelas).

Pastores (Desfilam):

Um, dois, um, dois...
Somos pastorzinhos que nada temos,
Um, dois, um, dois...
Mas muitos beijinhos,
Um, dois, um, dois...
Ao Deus Menino daremos,
Um, dois, um, dois...

Narrador: Pois sim, já se vê. Nessa noite, as estrelas, os anjos, as borboletas... os pastores... todos pareciam tão contentes... como se estivessem a celebrar uma grande festa!
E prestaste atenção?
Ouviste bem?
Todos falavam de Belém, de um menino chamado Jesus, Deus...
Vamos continuar atentos para descobrir o que se passava e quem era esse personagem.

(De novo, saindo do círculo, voltam a desfilar para voltar ao mesmo sítio).

Lenhador (Bocejando e esfregando os olhos):
- Que horas são estas de andar por aqui a dançar?
Se calhar estou a sonhar. (Treme). Faz frio, ai que frio! E que noite mais estranha!

(Olha e descobre os personagens no palco).

Eh! Vocês aí! (Grita): Quem sois? Onde ides?

Anjos (em coro):

Somos anjinhos do Senhor
Que vamos a Belém
Adorar o redentor.

Estrelas (em coro):

Somos estrelas do céu azul
Que vamos a Belém
Brilhar para Jesus.

Borboletas (em coro):

Somos borboletas com asas de seda
E ao menino levamos
Suspiros de Primavera.

Pastores (em coro):

Somos pastorzinhos que nada temos
Mas muitos beijinhos
Ao Deus Menino daremos.

Lenhador-Ai, mãezinha! Que grande confusão!
Querem-me explicar isto tudo como deve ser?
Ai minha nossa senhora, devo estar a sonhar. Ai que sonho tão esquisito.

Anjos (em coro):

Que em Belém nasceu
O nosso Redentor
Para ensinar aos homens
A paz e o amor.

Estrelas (em coro):

É verdade lenhador
Que em Belém nos aguarda
O nosso Salvador.

Borboletas (em coro):

Este bom homem
Por aqui adormeceu
E não se deu conta
De que Deus Menino nasceu.


Pastores (Aproximando-se do lenhador; em coro):

Vamos lenhador!
Levanta-te já
Que o Deus dos céus
Nasceu num Presépio.

Lenhador: Vejamos! Vejamos! A ver se vos ouvi bem.
(repete devagar):

Que em Belém nasceu
O nosso Redentor
Para ensinar aos homens
A paz e o amor.

Todos (em coro):

É isso bom lenhador!
E para lá nos dirigimos
Desfilando...
Um, dois, um, dois...

(Começam o desfile para sair em direcção ao presépio).

Lenhador (Colocando-se no meio e fazendo sinais com as mãos para os parar):
-Um momento! Um momento! Levem-me convosco, por favor... por favor... eu não conheço o caminho! Eu também quero ver esse Menino Deus!

Pastores: De acordo lenhador! Põe-te em fila e desfila connosco.

(O lenhador integra-se no desfile e prosseguem).

Todos:

Um, dois, um, dois...
Vamos todos ao Presépio!
Um, dois, um, dois...
Ver o Rei dos céus que já nasceu.
Um, dois, um, dois...

(Quando chegarem diante do Presépio de Belém colocam-se todos de joelhos. Podem cantar um cântico tradicional de Natal.

domingo, 27 de novembro de 2011

A Caixa



Uma vez, uma mãe castigou um filho de 5 anos por estragar um rolo de papel dourado; a criança serviu-se dele para decorar uma caixa, que depois colocou na árvore de Natal.

No momento da distribuição dos presentes, o menino retirou a caixa da árvore e entregou-a à sua mãe como presente.

A mãe ficou embaraçada mas, ao abrir a caixa, viu que estava vazia.

Disse severamente à criança:
- Então não sabias que se deve colocar sempre alguma coisa dentro dos embrulhos?

O menino olhou-a comovido e com as lágrimas nos olhos disse:
- Mãe, não está vazia. Soprei para dentro dela, até ficar cheia de beijos.

A mãe não sabia que dizer.
Pediu-lhe perdão pela sua ira e abraçou-o com ternura.

Passado algum tempo, um acidente tirou a vida ao menino.

Essa mãe ainda hoje conserva a caixa dos beijos no seu quarto.
Sempre que está mais triste ou deprimida, abre-a e olha para dentro.
Lá está muito amor.

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Advento (ano B)




Todos o dia se cresce em estatura e em inteligência.
Quanto à estatura, isso acontece sem nada ter que fazer.
Quanto à inteligência «intelectual», esforçamo-nos na escola para a desenvolver.
Mas existe outra inteligência a desenvolver: é a inteligência do coração.
É isso que proponho para trabalhar até ao Natal.

Prontos para o desafio?

Partida!





Vigiai (primeira semana)

Estamos reunidos em nome de Jesus, Filho de Deus feito Menino para a nossa Salvação, porque queremos preparar os nossos corações para que possa nascer em cada um de nós, na nossa família e na nossa comunidade e fazer que o milagre do Natal seja uma realidade.


Quantas vezes estamos à espera de alguma notícia ou acontecimento do qual vai depender a nossa alegria ou a satisfação de algum desejo...!

Neste tempo do Advento, toda a Igreja se dispõe a celebrar o nascimento de Jesus.
É Jesus que estamos à espera e, por isso, podemos confiar-lhe todas as nossas expectativas humanas.

O que nos pedirá Deus nesta primeira semana do Advento em que esperamos o nascimento do seu Filho?

Que permaneçamos vigilantes.

Quando alguém fica de vela a um doente ou precisa fazer serão para preparar alguma festa, fica «atento» a tudo o que se passa; do mesmo modo, a vigilância a que nos referimos, exige preparação interior, recolhimento, exame de consciência, reflexão sobre as coisas que, na nossa vida, precisam ser modificadas (comportamentos, sentimentos, etc.)

Esperemos atentos e cheios de alegria, ansiosos, como se espera alguém que se ama, com vontade de lhe ser prestável.

Pensemos nos aspectos em que temos de ser melhores, nas mudanças que a nossa vida precisa, nas coisas que precisamos renunciar para que Jesus tenha, no nosso coração, na nossa família, na nossa comunidade, um lugar apropriado para se manifestar.















segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Novo Ano Escolar



A escola é feita de tijolos que, unidos, formam o edifício.Que os alunos, professores e auxiliares de educação, unidos, formem uma comunidade educativa.

A escola tem grandes janelas que dão para a cidade.
Que os alunos aprendam a observar a realidade e aprendam a construir uma cidade mais alegre.

A escola tem muitas salas de aula onde se passa muito tempo.
Que os alunos aprendam não apenas conhecimentos mas a ser pessoas mais humanas e felizes.

A escola tem corredores onde as pessoas se cruzam.
Que todos se cumprimentem, saibam sorrir, se conheçam cada vez melhor e ajudem os mais fracos.

A escola tem recreios onde todos correm e se divertem.
Que os alunos evitem toda a violência, se respeitem mutuamente e convivam na alegria.

domingo, 11 de setembro de 2011

Gratidão

No mês de Agosto de 2001, Moisés, nome fictício, um bem sucedido empresário americano, viajou para Israel.
Na 5ª feira, entre uma reunião e outra, o empresário aproveitou para fazer um lanche rápido numa pizzaria na esquina de duas ruas importantes, no centro de Jerusalém.
O estabelecimento estava super-lotado quando entrou na pizzaria.
Moisés percebeu que teria de esperar muito tempo numa enorme fila se realmente desejasse comer alguma coisa. Mas ele não dispunha de tanto tempo. Indeciso e impaciente, pôs-se a ziguezaguear junto do balcão esperando que alguma solução caísse do céu.
Percebendo a angústia do estrangeiro, um israelita perguntou-lhe se ele aceitava entrar na fila ocupando o seu lugar. Mais que agradecido, Moisés aceitou. Fez o seu pedido, comeu rapidamente, e saiu em direcção à sua próxima reunião.

Menos de dois minutos depois de ter saído, ouviu um estrondo aterrorizador.
Perguntou a um rapaz que vinha pelo mesmo caminho que ele percorrera o que tinha acontecido.
Ele respondeu: mais um atentado da Jiad islâmica.
Moisés voltou para trás.
Que seria feito daquele homem que lhe oferecera o lugar e que evitara a sua própria morte?
Era horrível o espectáculo com que se deparou: corpos projectados para a rua, cadeiras projectadas para a rua, gritos, ambulâncias…
Para causar mais dano, o homem que se fizera explodir tinha metido pregos nas bombas.
Impossibilitado de encontrar o tal homem, Moisés, no dia seguinte, correu aos hospitais e conseguiu, num deles, encontrar o tal homem. Na altura ele tinha o filho a seu lado. Disse-lhe obrigado e pouco mais.
Ao despedir-se, deu ao filho um cartão com o endereço dizendo que estava ao dispor deles para o que precisassem.

Um mês depois, o telefone toca no escritório de Moisés.
Era o filho do homem do atentado dizendo que seu pai precisava de fazer uma operação que só nos Estados Unidos era possível.
Moisés disse que sim. Foi-os esperar ao avião.
Tratou de tudo, embora perdesse o trabalho.

Nesse dia 11 de Setembro ele não foi trabalhar para o andar 101 por causa do amigo Israelita.
 Se não fosse ele, teria sido mais uma das vítimas das Torres Gémeas.

(Mais uma história veridica)

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

Natividade de Maria (8 de Setembro)


Hoje é o nascimento da Virgem Santa Maria. 
Deus olhou para a sua beleza e exaltou a sua humildade.

Nasceu em Nazaré da Galileia e os seus pais foram Joaquim e Ana.
Dera-lhe o nome de Maria.

Maria corresponde ao hebraico Maryam, nome sem dúvida muito utilizado nesse tempo.
A irmã de Moisés chamava-se Maria.

Os Evangelhos mencionaram outras mulheres com este nome, como Maria Madalena e Maria de Betãnia.

Qual o significado deste nome?

Supõe-se que é de origem egípcia (m r y) e significa «amar».
Há quem diga que vem do hebraico (mar yam), que deu em latim «stella maris».

Maria foi concebida sem pecado original. 
Por isso celebramos a sua Imaculada Conceição.

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Mesmo que não sejas artista


Terminaram as férias e toda a gente se empenha com um novo vigor nas suas actividades escolares ou profissionais.
Para todos eles vão estas palavras, que são um convite à auto-estima.

Embora não escrevas livros, és o escritor da tua vida. Podes, dia-a-dia ir escrevendo páginas maravilhosas, cheias de encanto.

Embora não sejas Miguel Ângelo, podes fazer da tua vida uma obra-prima. Corrigindo os teus defeitos, serás cada vez mais prefeito.

Embora não cantes muito bem, a tua vida pode ser uma canção maravilhosa. Uma canção que vem alegrar este mundo triste.

Embora não percebas de música, a tua vida pode ser uma magnífica sinfonia dedicada ao Criador do mundo, a quem chamamos Deus.

Embora não sejas jornalista, a tua vida pode transformar-se numa reportagem modelo que contará o heroísmo do teu quotidiano.

Embora não tenhas muita cultura, podes cultivar a sabedoria do amor, pois o grande sábio é aquele que sabe amar o próximo.

Embora o teu trabalho seja humilde, podes com ele tornar o mundo mais belo. Todas as profissões humanas têm a mesma dignidade.

Embora tenhas cinquenta, sessenta ou setenta anos, podes manter um espírito jovem. Olha para o amanhã e continua a fazer projectos.

Embora as rugas tenham aparecido no teu rosto, podes ter uma grande beleza interior, irradiando o perfume das tuas virtudes humanas e cristãs.

Embora os teus pés sangrem ao caminhar sobre os espinhos da vida, podes manter o teu sorriso, pois sabes que o Senhor está contigo.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Respeito e Compromisso

Aqui fica mais um pequeno segredo para ser feliz.

Vou de férias mas em Setembro voltarei com novos trabalhos.
Beijinho a todos.
Deus vos abencoe.





















segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Profetas e Reis



Gradualmente, os Israelitas afastaram-se de Deus.
Deus enviou profetas ao Seu povo para os trazer de volta a Si, mas os Israelitas não prestaram atenção.
O seu reino dividiu-se e foram conquistados.
Mais tarde regressaram do exílio e reconstruíram Jerusalém.



Perguntas

1-Homem Forte

Qual era o segredo da grande força de Sansão?

_ O seu regime alimentar
_ O cabelo
_ Os músculos

2-Santo Homem
Samuel era um santo sacerdote. Deus indicou-lhe quem escolher para primeiro rei de Israel.
Quem foi?

_ Herodes
_ David
_ Saul

3-Aniquilador do Gigante
Quem foi o jovem pastor que matou o gigante e se tornou rei de Israel?

_ David
_ Salomão
_ Júlio César

4-Provérbios
Qual dos provérbios seguintes se encontra na Bíblia?

_ Mais vale prevenir que remediar
_ Tudo é bom quando acaba bem
_ Um sorriso no rosto alegra o coração

5-Presentes
De que rainha recebeu o rei Salomão belos presentes?

_ Rainha do Egipto
_ Rainha de Sabá
_ Rainha da Inglaterra

6-Chefe Sábio
Que rei construiu o Templo de Jerusalém e era famoso pela sua sabedoria?

_ Saul
_ Salomão
_ Herodes

7-Profeta no Deserto
Elias foi para o deserto a fim de fugir a um rei cruel. Deus enviou corvos para o ajudarem.
O que fizeram?

_ Levaram-lhe água
_ Levaram-lhe comida
_ Levaram-lhe dinheiro

8-Exílio
Depois de os Israelitas se afastarem de Deus, foram levados como escravos para a Babilónia.
Quanto tempo durou a escravidão?

_ 50 anos
_ 70 anos
_ 90 anos

9-Salvamento do Seu Povo
Quem casou com o rei da Pérsia e salvou o seu povo da morte?

_ Ester
_ Maria
_ Margarida

10-Por Escrito
Que rei da Babilónia viu o seu destino escrito na parede?

_ Nabucodonosor
_ Baltasar
_ Dário

11-Profecia
Que profeta predisse que um “servo sofredor” traria paz?

_ Jeremias
_ Amós
_ Isaías

12-História de Baleias
Qual o profeta a quem Deus mandou ir para Nínive, mas que fugiu e foi engolido por uma baleia?

_ João
_ Joaquim
_ Jonas

13-Fé em Deus
Porque lançou o rei Dario o seu criado favorito, Daniel, aos leões?





Respostas

1- O cabelo.
Dalila descobriu e contou aos inimigos de Sansão, os Filisteus. Estes cortaram-lho e a força abandonou-o.

2- Saul.
Era um jovem da família menos importante das doze tribos de Israel.

3- David.
Sucedeu a Saul como rei de Israel. David foi o autor de muitos dos salmos.

4- Um sorriso no rosto alegra o coração.
Há um livro da Bíblia que tem mesmo o nome de Provérbios.

5- Da rainha de Sabá.
Ela visitou Salomão porque tinha ouvido falar da sua grande sabedoria.

6- O rei Salomão.
Ele foi o rei de Israel mais rico e poderoso.

7- Levaram-lhe comida (1 Reis 17:1-6).

8- 70 anos.
Ciro, rei da Pérsia, conquistou a Babilónia e autorizou que os Israelitas partissem (Ezra 1:1-4.).

9- Ester.
A forma como ela salvou o seu povo é relatada no Livro de Ester.

10- Baltasar.
Uma mão sem corpo apareceu e escreveu o seu destino num muro (Daniel 5).

11- Isaías (Isaías 53).
Os Cristãos interpretaram isso como a profecia da vinda de Jesus.

12- Jonas.
Ele foi mesmo a Nínive e salvou a cidade do pecado.

13- Porque Daniel desobedeceu a Dario.
Tinha saído uma lei segundo a qual as pessoas só deviam adorar o rei. Quem desobedecesse seria lançado aos leões.



quinta-feira, 4 de agosto de 2011

O Êxodo



Quando Deus libertou o Seu povo da escravatura no Egipto, ele partiu para Canaã, a Terra Prometida.
Liderado por Moisés, passou muitos anos no deserto.
A história dessa fuga do Egipto e do anos no deserto tem o nome de Êxodo.


Perguntas

1-Liberdade
Em que refeição anual especial os judeus recordam como Deus os libertou do Egipto?

_ Na Última Ceia
_ Na festa da Páscoa
_ Na Acção de Graças

2-Dez Mandamentos
Onde entregou Deus a Moisés os Dez Mandamentos que Ele desejava que o Seu povo seguisse?

_ Em Jerusalém
_ No monte Sinai
_ No monte Evereste

3-Deserto
Deus guiou os Israelitas através do deserto.
De dia eram orientados por nuvens. O que os guiava à noite?

_ Uma coluna de sal
_ Uma coluna de luz
_ Uma coluna de fogo

4-Falso Ídolo
Os Israelitas adoravam uma estátua de ouro de que animal?

_ Burro
_ Cordeiro
_ Vitelo

5-Quarenta Anos
Os Israelitas tiveram que passar 40 anos no deserto porque desobedeceram a Deus.
Deus alimentou-os com maná. O maná era parecido com:

_ Bolachas
_ Flocos de cereais
_ Batatas

6-Burro Falante
Que profeta do Antigo Testamento foi aconselhado pelo seu burro?

_ Elias
_ Jeremias
_ Balaão

7-Alimentos no Deserto
Para além de maná, que mais enviou Deus para alimentar os Israelitas no deserto?

_ Codorniz
_ Frango
_ Pato

8-Trombetas
O que aconteceu quando os Israelitas fizeram soar as trombetas no exterior de Jericó?

_ Os portões abriram-se
_ A cidade foi destruída
_ As muralhas caíram

9-Líderes
Quem liderou os Israelitas depois de se instalarem na Terra Prometida?

_ Reis
_ Juízes
_ Patriarcas

10-Moisés
Moisés conduziu os Israelitas durante os 40 anos da sua peregrinação no deserto.
Acompanhou-os até entrarem na Terra Prometida?

_ Sim
_ Não

11-Arca da aliança
A Arca da Aliança foi transportada pelos Israelitas durante a sua jornada.
O que continha?






Respostas

1- A refeição da Festa da Páscoa.
A última praga que Deus enviou ao Egipto foi a de morte de todos os filhos varões primogénitos dos egípcios, mas isso não abrangia os Israelitas e não os molestou.

2- No monte Sinai (Êxodo 19-20:21).
Os Dez Mandamentos foram inscritos em placas de pedra.

3- Uma coluna de fogo (Êxodo 13:21-22).

4- Um vitelo.
Moisés ficou furioso quando descobriu o seu povo a adorar um falso ídolo.

5- Flocos de cereais.
Deus enviou comida aos Israelitas.

6- Balaão.
A história é contada no Livro dos Números.

7- Codorniz (Números 11:4-33).

8- As muralhas caíram.

9- Juízes e outros chefes, do Livro dos Juízes.

10-Não.
Moisés morreu antes de terem chegado à Terra Prometida, mas Deus deixou que ele a visse.

11-As duas placas de pedra em que estavam escritos os Dez Mandamentos (Êxodo 25:10-22).




segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Chegaram as férias...



No fim de mais um ano de trabalho, cheio de preocupações, tristezas e alegrias é mais que merecido um tempo de descanso, de lazer, aquele tempo que todos nós mais desejamos ao qual chamamos férias.

Férias –É tempo de parar, de fazer coisas diferentes, tempo de me encontrar verdadeiramente comigo mesmo, com os outros e com Deus.

Férias – É tempo de sair dos lugares habituais, dos caminhos que nos levam à escola, ao trabalho e a tantos outros compromissos.

Férias – É tempo de conhecer coisas novas, de viajar, de ir para o campo, a praia, a cidade, a montanha...

Desde os tempos antigos o Povo sentiu atracção pelos lugares altos, estes eram lugares privilegiados da presença divina.
Olhemos para a vida do Mestre, basta pegarmos na Sagrada Escritura para descobrimos as imensas vezes em que Jesus Cristo subiu à montanha, desde o início da Sua vida pública até à Ascensão.
É curioso verificarmos que estas subidas de Jesus à montanha, para se encontrar com o Pai, davam-se principalmente nos momentos em que precisava de tomar decisões importantes para levar a cabo o projecto de Amor que o Pai Lhe havia destinado.


Neste tempo de férias vamos tentar fazer a experiência de subir à montanha.

Se possível reflectir na letra da canção “A Montanha”, de Roberto Carlos


video

A MONTANHA

Eu vou seguir uma luz,
lá no alto eu vou ouvir
uma voz que me chama, eu vou subir,
a montanha e ficar bem mais perto
de Deus e rezar.

Eu vou gritar, para o mundo
me ouvir e acompanhar.
Toda a minha escalada e ajudar,
a mostrar como é o meu grito
de amor e de fé.

Eu vou pedir,
que as estrelas não parem de brilhar,
as crianças não deixem de sorrir,
e que os homens jamais
se esqueçam de agradecer.
Por isso eu digo:

Obrigado, Senhor, por mais um dia.
Obrigado, Senhor, que eu posso ver.
Que seria de mim sem a fé
que eu tenho em você?
Por mais que eu sofra,
obrigado, Senhor, mesmo que eu chore,
que tudo isso me mostra o caminho
que leva a Você.
Mais uma vez, obrigado, Senhor
por outro dia!
Obrigado, Senhor, que o sol nasceu!
Obrigado, Senhor, agradeço, obrigado, Senhor!
Por isso eu digo: obrigado, Senhor pelas estrelas!
Obrigado, Senhor, pelo sorriso!
Obrigado, Senhor, pela esperança.
Obrigado, Senhor, pelo perdão!
Obrigado, Senhor, pela natureza!
Obrigado, Senhor, agradeço, obrigado, Senhor!